Pular para o conteúdo principal

Apenas Agradeçer

  Agradeço-te pela visão e pelo contemplar das cores das belas flores, o sorriso de uma criança, a beleza radiante do arco-íris, o pôr do sol, a lua e o céu estrelado. Olhos que eram apenas para enxergar as belezas no céu, no mar, na terra, mas contemplam a violência, a fome, a natureza que morre fruto de irresponsabilidade da humanidade (minha e de todos).
  Agradeço-te pelo olfato que desfruta o prazer de cheiros e aromas, o doce e suave perfume de uma rosa que desabrocha, o cheiro daquela comida saborosa, o odor do imenso mar. Nariz que não só inala as maravilhas de tanta beleza, mas que também o mau cheiro de fumaças produzidas pelas indústrias, mau cheiro dos esgotos entupidos por tanto lixo jogado nas ruas.
  Agradeço-te pelo tato que, mesmo com os olhos fechados, pode enxergar com o coração, ter a sensação da leveza e delicadeza da pétala de uma flor, o aveludado kiwi, o frio de um saboroso sorvete, o calor de um chocolate quente. Tato que com as mãos apalpo e com os braços abraço e ainda acalento. Mãos que, lamentavelmente, derramam sangue; braços que agridem o inocente; pés que se apressam em fazer o mal.
  Agradeço-te pela audição que me permite ouvir a mais doce sinfonia de pássaros cantando acompanhados pelo som do vento indo contra as árvores; por ouvir o riso do sertanejo quando vê a chuva molhar a plantação; pelo privilégio de ouvir as melodias do dedilhar de um violão, a harmonia da canção que fala do coração. Ouvidos que escutam o que é mau, mas que também ouvem o choro de uma criança sedenta e faminta pedindo um pouco de água e um pouco de pão, que escutam o grito e o pranto de dor da mãe desconsolada que teve seu filho assassinado porque não tinha dinheiro para pagar a droga que usou.
  Agradeço-te por meu paladar. Com ele posso deliciar-me no doce do mel, o meio amargo de um bom chocolate, o azedinho do morango, o sabor dos temperos de uma boa refeição. Língua que era para degustar e saborear, mas que muitas vezes afiada como uma navalha está sempre a criticar e envenenar.
O que estamos fazendo com os órgãos dos sentidos? Pense nisso...

NEle, que nos ser grato com todo nosso ser.
Daniel Lima - Um discípulo no Caminho.
---
O Caminho é uma pessoa e seu nome é Jesus!
Graça, bondade, paz, perdão e amor...
Que assim seja nosso caminhar!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Uma Carta Diferente

Certo dia escrevi a seguinte carta: “Estou inconformado com a vida, já não sinto alegria, nem prazer em viver. Penso sempre em você e gostaria de ter certeza do seu amor por mim, pois às vezes me sinto abandonado na solidão. Falo com você, mas você não me diz nada. O que houve? Há algo errado? Foi alguma coisa que eu fiz ou disse? Por favor, me diga, preciso muito saber, você me ama? Se ama me dê uma prova do seu amor por mim”. Selei a carta e enviei. No dia seguinte já fiquei de prontidão aguardando ansiosamente o carteiro. Cada dia que se passava parecia que a ansiedade tomava conta de todo meu ser. Nestas minhas esperas diárias me indaguei: “Até que ponto esse amor que sinto é verdadeiro?”. O carteiro sempre entregava as cartas ao entardecer, quando o sol começava a se pôr. Os dias foram passando e sempre fazia a mesma pergunta ao carteiro: “Tem alguma carta pra mim hoje?”. Ele com um sorriso no rosto respondia: “Deixa eu ver... não, não tem carta para você”. Quanto mais os dias s…

Simplicidade

Ama a simplicidade
Ama a vida
Ama a poesia
Ama as coisas que dão alegria
Ama a natureza e a reverência pela vida
Ama os mistérios
Ama Deus.
(Rubem Alves)

Cada vez mais em nossos dias aumenta a paixão pelos bens materiais. Afinal de contas, bens simbolizam status e lamentavelmente na maioria das vezes somos definidos e valorizados pelo que temos e não pelo que somos. Para muitos a vida ideal está no acúmulo de bens e o que predomina é aquela frase: “quanto mais melhor”. Então, vivemos esse frenesi, um ativismo intenso, uma verdadeira corrida de ratos para conquistarmos e acumularmos cada vez mais. Corremos, corremos, mas não estamos satisfeitos, queremos sempre mais e para realizarmos esse desejo vivemos uma acirrada competição fora e muitas vezes dentro de casa também. Viver assim não é apenas  angustiante como também gera uma grande ansiedade e parece não haver fim para isto.
Penso que a solução para isto é um retorno à simplicidade, pois ela nos liberta dessa obsessão e nos traz equilíbrio…

Teu colo

Corro para ser acolhido em Teu colo sem precisar embriagar- me com o vinho do moralismo. Não é necessário maquiar-me com o pó do ritualismo, tão pouco adornar- me com o legalismo, pois sei que me aceitas como sou. Quero Teu colo, necessito dele, porque desejo ouvir tua voz mansa e suave. Para estar no Teu colo preciso esvaziar- me dessa construção de um deus justiceiro e impiedoso que fizeram em mim; preciso esvaziar-me do passado que me oprime dia e noite e ser cheio de confiança que me dá a certeza que sou aceito por Ti. Não importa o que disseram, dizem e dirão sobre mim, pois sei que a última palavra vem de Ti e dizes: “meu filho, não temas, pois mesmo não merecendo meu amor eu te escolhi para amar-te sempre mais e mais”. Teu colo é meu abrigo secreto, ou melhor, é meu oásis em meio a este deserto existencial que nem sempre está fora de mim, mas quase sempre dentro de mim. Quando estou nEle, não preciso nem falar, pois me ensinaste que a melhor oração não é fruto de um prolongado tr…